Após bater na trave duas vezes, um grande da Colômbia está perto de sua primeira final internacional

Se o Atlético Paranaense está muito próximo de decidir a Copa Sul-Americana 2018 após ter feito 2×0 sobre o Fluminense no jogo de ida, o que dizer do Junior? O time de Barranquilla venceu o Santa Fe pelo mesmo placar, mas fora de casa. Jogará como mandante na partida de volta, podendo perder por 1 gol de diferença.

Caso confirme a vaga na final, o Junior disputará a primeira decisão sul-americana de sua história, entrando para o grupo de outros 6 clubes colombianos que fizeram finais de copas da Conmebol:

Atlético Nacional (9 finais) – 3 de Libertadores, 3 de Sul-Americana, duas decisões de Recopa e duas da Copa Merconorte

América de Cali (5) – 4 finais de Libertadores e uma da Merconorte

Santa Fe (4) – Uma de Sul-Americana, uma decisão da Recopa, uma de Copa Conmebol e uma da Copa Merconorte

Deportivo Cali (3) – Duas finais de Libertadores e uma da Merconorte

Once Caldas (2) – Uma final de Libertadores e uma da Recopa

Millonarios (2) – Duas finais da Merconorte

Esta é a terceira vez que o Junior de Barranquilla chega a uma semifinal de competição internacional. A primeira foi na Libertadores de 1994, a quinta de suas 14 participações no torneio. O destaque do time era a lenda Carlos Valderrama.

Na primeira fase daquela Libertadores, o Junior se classificou em terceiro lugar do grupo 1, atrás do Independiente de Medellín e do Olímpia, à frente do Cerro Porteño. Nas oitavas, eliminou o Colo-Colo nos pênaltis. Nas quartas, tirou o Independiente de Medellín. Acabou eliminado nos pênaltis pelo Vélez Sarsfield, que seria campeão em cima do São Paulo.

Em 2017, a segunda semifinal internacional do Junior, agora na Sul-Americana. Acabaria eliminado pelo Flamengo, com duas derrotas: 2×1 no Rio e 2×0 na Colômbia, quando uma vitória simples servia aos colombianos. Antes, havia superado Deportivo Cali, Cerro Porteño e Sport.

Os destaques do time de 2017 estavam no ataque: Teo Gutiérrez, ex-River Plate, e Yimmi Chará, hoje no Atlético Mineiro.

Em 2018, assim como havia ocorrido no ano passado, o Junior ingressou na Sul-Americana direto na segunda fase: ficou em terceiro em sua chave na Libertadores. Eliminou, antes de encontrar o Santa Fe, 3 argentinos: Lanús, nos pênaltis; Colón; e Defensa y Justicia.

Esta é a quinta participação do clube de Barranquilla no torneio, a quarta consecutiva. O nome mais conhecido do elenco segue sendo o de Teo Gutiérrez. O técnico é o mesmo da Libertadores 1994 e da Sul-Americana 2017, o uruguaio Julio Comesaña, hoje com 70 anos de idade.

O Atlético Junior joga no maior estádio da Colômbia, o Metropolitano Roberto Melendez, para quase 50 mil torcedores, sede das partidas da seleção colombiana. Já no primeiro campeonato nacional realizado, em 1948, foi vice-campeão. Possui 7 títulos nacionais, mais, por exemplo, que Independiente Medellín, Once Caldas (campeão da Libertadores 2004) e Tolima.

A torcida do Junior é considerada a quinta maior da Colômbia, atrás de Atlético Nacional, Millonarios, Santa Fe e Deportivo Cali, e à frente do América de Cali. Estima-se que o Junior tenha mais de 3 milhões de torcedores.

A cidade de Barranquilla, terra da cantora Shakira e da atriz de Hollywood Sofía Vergara, possui cerca de 2 milhões ded habitantes. Fica na costa norte, sendo um dos principais pólos turísticos da Colômbia.

>> Curta a página de FAZENDO NÚMERO no Facebook!

Foto: Facebook Oficial Atlético Junior

 

CamisetasGozadas.com.br (clique na imagem para acessar a página do Facebook)

Curta a página RISOBOL no Facebook

Curta, no Facebook, a página FRASES FAMILY GUY

Siga, no Instagram, MELHORES DO STAND UP

Deixe uma resposta